quinta-feira, 20 de outubro de 2011

[troço] O Escapista


[outra proposta para o "Projeto X (ou similar)"]

João da Silva [“john smith”,bleh] nunca foi uma boa pessoa.



Logo, não é estranho que, depois de uma vida inteira de crimes, ele venha parar no corredor da morte. A ironia terrível é que João foi condenado à morte por um crime que não cometeu. E esse crime é o assassinato da única pessoa que ele já amou na vida.

Condenado, mas recusando-se a aceitar o inevitável, João participa como cobaia humana em  um projeto científico secreto e ilegal de [inserir nome de alguma disciplina duvidosa interligando neurologia e física quântica; Roger Penrose?...]. Para seu espanto, João sobrevive ao experimento, e se descobre fora da cadeia...e também fora de seu mundo.

O experimento transporta João da Silva para uma realidade paralela...e para dentro do corpo/mente do “joão da silva” alternativo que habita esse mundo. O deslocamento não para aí: a cada dia, João desperta em um mundo diferente, dentro da pele de um duplo diferente. Sempre que cai no sono, João não sabe aonde, nem quando,nem como irá despertar.

Um dia, o João da Silva que ele encarna pode ser o Presidente do Mundo; no outro, um tetraplégico.

Um desses joãos da silva pode ser um homem santo; e algum outro joão da silva terá realmente matado a única pessoa que já amou na vida.

A única forma do João constante e mutante sair dessa roda está em, talvez, reconstituir por conta própria o experimento que o catapultou multiverso adentro. Isso, quando não estiver enfiado em mundos nos quais a história não faz sentido, ou as leis da física, ou até mesmo a lógica.

E se é que João deseja realmente voltar para casa.

Mas a existência de João , o condenado, o eterno fugitivo, sempre foi assim, afinal de contas: vivendo um dia de cada vez.

[Referências imediatas: O FUGITIVO; O TÚNEL DO TEMPO; QUANTUM LEAP(tá, só vi o piloto da série); LA JETTE(curta-metragem francês que é a fonte de Os Doze Macacos); Golden Boy, personagem da série WILD CARDS(tá, só conheço o gibi, não os livros)]

Um comentário:

Jauch disse...

Devo dizer que tanto esta quanto a ideia anterior tem muito que se lhes diga...
.
Muito bom :D